Sobre Riverhouse

Nossa história

 

RiverhouseePress foi fundada por Ron Kraybill em 2006 para publicar materiais educacionais sobre resolução de conflitos. Até o momento, o inventário de estilos de conflito Style Matters e o respectivo suporte continuam sendo seu foco central.

Como o Thomas KilmannConflictMode amplamente utilizado, o , Style Matters é baseado na grade de Blake Mouton de cinco estilos, mas o Style Mattersse distingue por sua flexibilidade cultural, capacidade de resposta ao estresse, foco prático, preço moderado e painel de treinamento amigável ao usuário apoiando a entrega fácil para usuários em qualquer escala.

O Style Matters está disponível na versão impressa ou online, a última com um relatório de pontuação de 7 a 10 páginas adaptado à pontuação do usuário e um painel do instrutor para entrega e rastreamento de uso. Ela já foi utilizada por mais de 100.000 pessoas na América do Norte, Canadá, Estados Unidos, Austrália, Índia e outros países. Está disponível em português, inglês e francês, com espanhol em andamento.

Riverhouse é administrado diariamente por Lee Myer, com sede em Lititz, Pensilvânia, com apoio ativo de Kraybill e vários freelancers..

 

SM and Pyramid   

 

Ron Kraybill sobre o surgimento do Style Matters

P1310099wRKedits50kRiverhouse começou como uma linha secundária para minha missão maior de ensinar os construtores da paz. De maneiras que eu não esperava, ele se interligou com minha missão principal.

Comecei minha carreira em 1979 como diretor fundador do MennoniteConciliation Service, que desempenhou um papel significativo no início do movimento de resolução de conflitos nos Estados Unidos. Passei 1989-95 como Diretor de Treinamento no Centro para Resolução de Conflitos em Capetown e Conselheiro de Treinamento do Acordo Nacional de Paz, uma grande estrutura nacional criada pelos principais paises da África do Sul para lidar com conflitos durante a transição política. De 1995 a 2007, trabalhei com John Paul Lederach, VernJantzi, Howard Zehr e outros no estabelecimento do programa de Mestrado em Transformação de Conflitos na Eastern MennoniteUniversity, um dos primeiros mestrados nesse campo.

Atuei como Representante Quaker no Oriente Médio 2007-2008, e como Conselheiro Sênior em Construção da Paz e Desenvolvimento para a ONU no Lesoto e nas Filipinas 2009-2015. Agora em aposentadoria compulsória na ONU, resido em Silver Spring, Maryland, e continuo com consultoria e treinamento privados. Durante o ano passado, passei diversos longos períodos em Mianmar treinando facilitadores para conversas regionais.

O Style Matters surgiu como uma ferramenta de treinamento para resolução de conflitos a partir do meu trabalho nas décadas de 1980 e 1990. Em diversas situações senti a necessidade de uma ferramenta que levasse as pessoas rapidamente a conceitos-chave de resolução de conflitos de uma forma prática, sem muitas leituras.

Um inventário de estilos de conflito faz isso de maneira excelente, dando às pessoas a chance de examinar seus próprios comportamentos padrões em conflito. Nesse processo, eles aprendem uma estrutura para analisar conflitos e prioridades que os ajuda a fazer escolhas conscientes sobre coisas que muitas vezes são inconscientes.   

Desenvolvi o Matters em resposta a essas preocupações, auxiliado por conversas com instrutores em todo o mundo e após anos de experimentação.

Eu via o Style Matters no início como basicamente uma ferramenta de nível micro para ensinar indivíduos sobre resolução de conflitos interpessoais e de equipe. Ainda é isso, mas agora vejo coisas que não via no início. Muito do meu trabalho nos últimos 25 anos foi em grandes processos ou com pessoas que estão ou esperam trabalhar em grandes processos. Por alguns anos, acho que senti que havia mudado para "coisas mais importantes" nos conflitos de nível macro em que estava trabalhando e treinando. Mas a experiência me ensinou o contrário.

Uma das aprendizagens mais surpreendentes da minha carreira - às vezes bastante perturbadora, porque meu trabalho foi diretamente afetado de maneiras adversas em várias ocasiões - é como lamentavelmente despreparados estão os atores atualmente encarregados de responder aos problemas do nosso mundo.

Na Pirâmide de Competência de Resolução de Conflitos abaixo, esbocei uma progressão de competências de que os profissionais precisam à medida que avançam para níveis mais elevados de conflito. O desenvolvimento da competência em qualquer nível torna relativamente fácil avançar para o próximo nível. Se você tem experiência e habilidade em Facilitação de Pequenos Grupos, por exemplo, não é um grande esforço começar a fazer Facilitação de Grandes Grupos. Da mesma forma, a falta de habilidade em qualquer nível torna difícil atuar bem em todos os níveis acima dele.Pyramid of Competency


A verdade é que a habilidade em qualquer um desses níveis é assustadoramente rara entre a vasta maioria dos líderes de nosso mundo hoje. Vários tipos de líderes sabem como exercer o poder. Eles sabem como dar instruções aos outros, estabelecer agendas com base em seus próprios interesses, mobilizar recursos para promovê-los, etc  

Mas poucos se destacam em outras habilidades necessárias para liderar com eficácia a solução criativa de problemas. Para fazer isso, você precisa de muito mais do que habilidade para competir e exercer poder. Você também precisa ter habilidade em coisas como fazer boas perguntas, ouvir bem, enquacionar problemas de forma construtiva, separar necessidades, posições e interesses, etc. Para aplicar essas habilidades em grupos ou públicos, você também precisa de outro conjunto completo de habilidades, como facilitar o diálogo em grupo , construção de consenso e tomada de decisão, construção de coalizões, concepção e execução de processos colaborativos, realização de consulta pública, etc.

Talvez seja irreal esperar todas essas habilidades dos políticos. Mas os mesmos déficits existem entre muitos designados como conselheiros profissionais e consultores de construção da paz em situações de conflito. Muito poucas pessoas encarregadas de liderar esforços para resolver conflitos que afetam milhões de pessoas possuem realmente as habilidades essenciais necessárias..

Repetidamente, tenho visto iniciativas de paz promissoras atingirem o teto e pararem, não tanto porque as questões eram impossíveis, mas porque os "pacificadores" estavam tendo um desempenho ruim, raramente coordenando bem entre si, frequentemente gastando sua energia e credibilidade em batalhas desnecessárias entre si.   

Considerando isso em relação à Pirâmide de Competências: As pessoas encarregadas de desempenharem os papeis nos níveis superiores da pirâmide estão paralisadas porque são incompetentes nos níveis inferiores da pirâmide!

Isto não é aceitável. O problema não é que não tenhamos as habilidades necessárias para atuar bem em cada nível ou como ensiná-las. É que simplesmente não priorizamos o ensino dessas habilidades, nem esperamos que aqueles que aspiram à liderança demonstrem domínio delas.

Eu foco meu interesse e o envolvimento nos níveis mais altos, mas o amplo progresso lá será difícil até que as instituições e as nações deem maior prioridade à construção das bases essenciais do trabalho nos níveis mais baixos. Vejo o Style Matters como uma contribuição modesta para resolver isso, ajudando a construir as bases nos dois primeiros níveis da pirâmide acima, fornecendo uma ferramenta lúcida, prática e de baixo custo que pode ser amplamente usada por todos os tipos de pessoas.